Anterior
Próximo

Precisamos batalhar por nossa fé – Elisângela Morião

Texto base: Jd 3 – Aqui Judas, com toda a sua experiência cristã, certamente depois de uma vivência de muitos combates espirituais, nos exorta e convoca a lutarmos (batalharmos) pela fé que uma vez foi dada aos santos.

Exortar é animar, motivar, incentivar. Judas era um dos irmãos de Jesus, assim como Tiago. O tema central deste verso é nos motivar a não desistir de lutar por nossa fé.

Pessoas podem nos ajudar nesta batalha, mas nós somos os responsáveis por lutar para crescermos e permanecermos na fé. Judas nos relembra que estamos em uma guerra, não em tempos de paz. Você e eu precisamos guerrear por nossa alma ou poderemos perdê-la. Satanás fará de tudo para nos afastar de Deus e de sua igreja.

Avida cristã vitoriosa é marcada por embates com o reino das trevas e é consolidada por meio do nosso esforço e fé. É preciso diligência (interesse, zelo, cuidado) para que esta luta possa nos conduzir à vitória.

Contra o que precisamos lutar?

  1. Contra o pecado
  2. Contra o desânimo
  3. Contra a preguiça espiritual e física
  4. Contra as falsas doutrinas que nos ameaçam com ensinos heréticos. Dar exemplos;
  5. Contra as ideologias satânicas. Ex: ideologia de gênero
  6. Contra a astúcia dos homens maus.
  7. Contra o mal em todas as suas manifestações.

Atenção! Nossa luta não é contra pessoas, mas contra o reino das trevas. Ef 6:12

Quais são as nossas armas?

‘‘Porque as armas da nossa milícia não são carnais (terrenas), mas sim poderosas em Deus para destruição das fortalezas; Destruindo vãs filosofias os raciocínios, e toda a altivez (arrogância) que se levanta contra o conhecimento de Deus, e levando cativo todo o entendimento à obediência de Cristo’’II Co 10:4-5

‘‘Revesti-vos de toda a armadura de Deus, para poderdes ficar firmes contra as ciladas do Diabo; Porquanto, nossa luta não é contra seres humanos, e sim contra principados e potestades, contra dominadores deste sistema mundial em trevas, contra as forças espirituais do mal nas regiões celestiais. Por esse motivo, vesti toda a armadura de Deus, a fim de que possais resistir firmemente no dia mau e, havendo batalhado até o final, permanecereis inabaláveis, sem retroceder. Estai, portanto, firmes, trazendo em volta da cintura a verdade e vestindo a couraça da justiça, calçando os vossos pés com a proteção do Evangelho da paz; embraçando sempre o escudo da fé, com o qual podereis apagar todas as setas inflamadas do Maligno. Usai igualmente o capacete da salvação e a espada do Espírito, que é a palavra de Deus.’’Ef 6:11-17

Para lutarmos é necessário usarmos uma armadura especial para não sermos feridos e também para podermos atacar com eficácia.

Cinturão da Verdade: Ef 4:25 Couraça da Justiça: É fazer aquilo que é justo e correto
Sandália do Evangelho da paz: Estar preparado e pronto

para anunciar Cristo a todos. Mc 16:15.

 

Escudo da Fé: I Jo 5:4
Capacete da Salvação: Proteção da mente contra dúvida de que você é salvo. Espada do Espírito: A palavra de Deus é uma arma de ataque. Ex. Jesus na tentação.
Oração: Ef 6:18 Conhecimento da Palavra: Jo 8:32
Conselho: Em suas batalhas, peça sempre ajuda e conselho. Pv 12:15; Onde não existe conselho fracassam os bons planos, mas com a ajuda de muitos conselheiros há grande êxito (vitória). Pv 15:22 Fé: I Jo 5:4

 

E por falar em conselhos, aqui alguns conselhos para finalizar:

  1. Não se afaste da igreja, da célula e dos irmãos – Por mais difícil que estejam as situações que você esteja enfrentando, jamais se afaste do Corpo de Cristo. Fique no barco.
  2. Se a luta estiver maior do que você pode suportar, peça reforços. Estamos na igreja também para ajudar uns aos outros a alcançar a vitória em todas as batalhas.
  3. Ore e jejue mais intensamente quando as batalhas se tornarem mais acirradas e difíceis de vencer.
  4. Creia sempre no amor, no perdão, na misericórdia e na graça de Deus para vencer suas batalhas. Não acredite em satanás. Não acredite em sua mente se ela está te induzindo a desacreditar da Palavra de Deus.

Elisângela Morião é autora desse artigo