Anterior
Próximo

Os singelos prêmios que a vida nos traz – Ana Cláudia

Qual guerreiro ou soldado que chegam de suas batalhas e recebem seus prêmios; ou como um campeão, que corre sua maratona e, ao final, recebe seus louros de glória; cada um de nós está diariamente lutando suas lutas, correndo seus percursos e, mesmo os que não estão buscando reconhecimento de forma tão insistente, certamente recebem seus prêmios no final de tudo.
Às vezes o prêmio não é algo que esperamos. Às vezes não é nem algo que percebemos, mas quando estamos atentos podemos observar nas menores e mais simples coisas as maiores recompensas de nossas lutas.
Mais uma vez, acabo de chegar de um plantão de 24 horas de trabalho, do qual cheguei feliz, apesar do cansaço e com o coração muito grato a Deus por tudo: colegas de trabalho que amo, alguns até já subiram de nível de colegas para amigos pessoais; pude pagar minha passagem para ir e vir, pude escolher minhas refeições e me alimentei muito bem nas minhas 24 horas de plantão.
Tive uma condução confiável e confortável pra me trazer, indo e voltando com pessoas queridas, animadas e com boas conversas. No caminho pra casa, pude pegar meu filho com a babá e ver que estava bem e sentir que foi bem cuidado.
Peguei a chave de casa na bolsa e pude abrir o portão, sendo alegremente recebida pelo meu lindo cãozinho.
Entro na minha casa simples, mas confortável pra mim e encontro alimento, abrigo, lugar confortável pra descansar.
Tomo meu banho, tenho roupas limpas, não são caras nem de grife, e também não são tão diversas assim, mas me servem e cumprem muito bem seu propósito.
Aí, ao final de todo esse ritual, que poderia ser considerado por mim rotineiro, de praxe, habitual, sem graça, e que poderia até me fazer reclamar ou chamar de mesmice, me sentei no sofá antes de descansar um pouco, e o meu filho de quase cinco anos se joga em cima de mim, me dá um abraço apertado, me diz que me ama com sua singela voz infantil. Esse gesto me enche ainda mais o coração de alegria e gratidão. Sou muito feliz: sou mulher, sou forte, guerreira (mas não feminista), sou mãe de um menino maravilhoso, de uma filha maravilhosa, esposa de um homem bom, tenho tudo o que preciso pra viver. Não tenho tudo o que gostaria, mas quem disse que tudo o que gostamos precisa ser nosso?
Gratidão é agradecer por tudo o que se tem e reconhecer que temos mais do que merecemos e mesmo assim reclamamos enquanto outros vivem num mundo tão rico passando por tanta escassez.
A vida nos traz lições diárias, lições muito profundas e de grande valia pra nosso crescimento. Mas, no fundo mesmo, é com as pequenas coisas, as que parecem mais insignificantes, que aprendemos nossas maiores e mais valiosas lições e que aprendemos a valorizar pessoas e momentos mais do que coisas.