Anterior
Próximo

O crente – Keila Rejane Galdino Costa

Às vezes me pego estagnada,
Com tanta informação errada
A respeito de um povo que ora
E tenta ser diferente
Num mundo tão carente
De paz, alegria , e verdade
Em busca de uma tal de felicidade.
Hoje nos chamam de tantas coisas:
Hipócritas, preconceituosos, mentirosos…
Nos julgam e apontam o dedo
Como se em nós estivesse o erro
De uma sociedade doente
Porque as vezes acham que a culpa é do crente.
Mas uma coisa eu te falo
vivi um tempo de ouro
Onde a vida do crente era como um tesouro
Desse difícil de se achar!
Esse crente que você julga ser preconceituoso
era exatamente quem fazia todo esforço
Pra visitar cadeias, orfanatos, hospitais, asilos,
Levando esperança e carinho
Àqueles que estavam esquecidos
Perdidos pelo caminho.
Quantos trabalhos em comunidades, com crianças que muitos ignoravam!
Nem sequer por um tempo lembravam, que elas precisavam de atenção.
E esperança em seu coração.
E Isso é doação…
Seja de tempo, de carinho, de vida,  ou mesmo de Mantimentos e oração.
Outros que foram mais longe, doaram e ainda doam seus próprios sonhos pessoais; abrindo mão de família e prosperidade, para ir a tantos lugares
Trabalhar com índios, africanos e tantos outros povos
Entregando sua vida e sua história
Em nome do Rei, do Rei da Glória.
Portanto não diga que não nos importamos com as minorias,
Se vc não conhece nossa história.
Você que apenas usa seus dedos num celular, para viver a criticar
E não arregaça as mangas para ajudar.
Ah e Quando eu falo de crente, não tô falando do “gospel ” do mundo moderno, que só pensa em música, plateia, aplauso e sucesso
E muitas vezes esquece a verdade do evangelho.
Falo daqueles que se doam, e que mesmo em meio à deslikes, não deixam de falar a verdade, sem medo e por amor, ao verdadeiro Deus e Senhor.
Falo de crente de verdade, que não tenta  distorcer  a escritura, para justificar os erros e escolhas da criatura, que esqueceu do seu Criador.
E eu digo sem medo de errar, crente não é perfeito, não é santo, não é deus,
Mas quando ele se quebranta e ora, Deus muda toda a sua história e um instrumento ele se torna para a Cristo glorificar.
E ele não vai ficar calado
Vai falar de amor, também de pecado
Para que todos possam ter a chance
de provar algo inexplicável
Que a ciência do homem não tem alcance.
Critique menos e ouça mais
Somos conservadores sim, por convicção
Não por religião
Mas pela certeza que temos em um Deus
Que criou tudo perfeito
E  mesmo que andemos em caminho estreito
Um dia voltaremos para o nosso verdadeiro lar.
Keila Rejane Galdino Costa é autora desse texto poético.
Nosso colunista, Maurivam Galdino Costa, apresenta em seu espaço, nessa semana, um texto poético de sua irmã, Keila Rejane Galdino Costa.