Anterior
Próximo

Celulite, o terror das mulheres – Claudia Rangel

Se você é mulher, sabe muito bem o que é celulite. Ela pode aparecer em qualquer lugar do nosso corpo, mas é ainda mais comum nas pernas, bumbum, barriga e até braços. A ocorrência de celulite é mais comum em mulheres do que em homens, devido a fatores fisiológicos e hormonais. Segundo a Sociedade Brasileira de Dermatologia, oito em cada dez mulheres apresentam algum grau de celulite. A celulite é uma alteração causada pelo acúmulo de gordura, água e toxinas nas células, fazendo com que elas fiquem cheias e endurecidas. É isso que causa o aspecto de furinhos na pele.

Classificações da celulite

A celulite pode ser classificada quanto à sua evolução e quanto ao seu aspecto.

Quanto à sua evolução, ela é classificada em graus:

  • Grau I: não visível e não palpável. Apenas alterações histopatológicas iniciais.
  • Grau II: não visível e palpável pelo pinçamento digital, onde se observa o aspecto da pele em casca de laranja. Pele pálida, fria e com elasticidade diminuída.
  • Grau III: visível e palpável.
  • Grau IV: nódulos maiores, visíveis, mais palpáveis, aderidos a planos profundos e muito dolorosos.

Quanto ao aspecto, ela se caracteriza pelo aspecto ondulado da epiderme, tipo “casca de laranja”, em algumas áreas do corpo.

Causas

Entre as principais causas da celulite estão:

  • Fatores genéticos
  • Obesidade
  • Distúrbios circulatórios
  • Fatores hormonais: está relacionado ao estrogênio, que atua em todas as fases da formação da celulite
  • Sedentarismo
  • Gravidez
  • Disfunções intestinais
  • Alimentação: excesso de açúcar, sal e álcool
  • Tabagismo
  • Medicamentos: anticoncepcionais, terapia de reposição hormonal, corticosteroides e betabloqueadores.

Conheça alguns tratamentos:

  • Drenagem linfática: indicada para casos iniciais, é uma massagem que estimula a eliminação de líquidos e toxinas do corpo.
  • Massagem modeladora: atua sobre o sistema linfático e sobre as placas de gordura. Tem seus efeitos potencializados quando combinada com alguma eletroerapia;
  • Creme anticelulite: podem melhorar a microcirculação e estimular a produção de colágeno.
  • Endermologia: utiliza-se um aparelho que promove a drenagem linfática. Indicada nos casos moderados a graves.
  • Radiofrequência: muito eficaz, o aparelho utiliza uma radiação eletromagnética de alta frequência que faz com que as moléculas de água se agitem e aumentem a temperatura, reestruturando o tecido.
  • Mesoterapia: é a utilização de um coquetel de medicamentos para diminuir a gordura local, indicado por um dermatologista.
  • Carboxiterapia: consiste na injeção de dióxido de carbono, melhorando a circulação e oxigenando os tecidos.
  • Ultrassom: o ultrassom estético lipolítico modifica ligações intercelulares e aumenta a permeabilidade da membrana celular.
  • Criolipólise: o aparelho é colocado na superfície da pele, congelando as células de gordura, que se rompem.
  • Lipocavitação: a energia ultrassônica emitida pelo ultrassom gera bolhas dentro das células de gordura, que se agitam e se rompem.

Lembrando ainda que para ter bons resultados nos tratamentos estéticos é preciso haver uma associação com alimentação, atividade física, beber pelo menos dois litros de água por dia, ela ajuda a eliminar as toxinas responsáveis pela formação da celulite. Evite ficar muito tempo sentada ou em pé,  faça caminhada sempre que possível.

As informações acima são meramente informativas, elas não substituem orientações ou acompanhamentos médicos.

Claudia Rangel é autora desse artigo

Clique aqui para conhecer mais sobre Claudia Rangel