Anterior
Próximo

Ao olhar | Annie F.

Obs:Esse texto é inspirado em uma história real.
Era uma quase tarde de um fevereiro qualquer, e uma garota normal como qualquer outra se arrumava para começar uma outra parte normal na vida de qualquer pessoa, mudar de escola. Parece algo completamente normal mas, nos olhos de quem passa, é como ir para um planeta totalmente desconhecido, onde não se sabe para onde ir.
Acordou, escovou os dentes, tomou o café da manhã e logo num pulo começou a conferir repetidamente tudo o que levaria para esse ambiente novo. Tudo confere e lá foi a menina.
Chegara, aparentemente muito bem e com certa timidez chamou a menina loira na sua frente e a perguntou: “É aqui a fila ‘pro’ 2º andar?”, a garota loira que era extremamente sociável não hesitou em fazer milhares de perguntas, mas não era chata, não, pelo contrário, era simplesmente o começo de uma bela e duradoura amizade.
Assim as meninas chegaram à sala, um pouco atrasadas pois foram ajudar a coordenadora.
Só que chegando lá, ao olhar para algo, ou melhor alguém, um desejo que ela possuía por todas as vezes que mudava de escola, se realizou em uma questão de segundos. Passou a semana toda olhando e pensando coisas e mais coisas sobre seu futuro com ele. Todas as pessoas ao seu redor, principalmente os mais velhos, sempre diziam literalmente que “era só uma fase”. Todos os dias sem exceção ela o amava independentemente de toda a turma, que o achava muito metido, mas ela não se importava, na verdade era um problema que ela queria ter em sua vida.
E todo o ano foi se passando, ele descobriu que ela gostava dele. Afinal, estava mais do que estampado nela, a partir daí, de alguma forma ela percebeu que ele começou a mudar de alguma forma para com ela, e simplesmente para disfarçar, pois nada mudara de qualquer forma para a garota, os dois começaram a ficar mais frios e competitivos entre si, por mais que por uma das partes fosse só uma fachada, continuavam.
A menina tinha a certeza de que ele estaria lá no próximo ano, só que um dia ela cogitou, ”e se ele não estiver?!”. E num gesto ela mudou completamente e apesar de o garoto não ter mudado, na verdade ela não sabia se nem o mínimo sentimento era recíproco, mas com a fé em um amor aparentemente impossível, ela continuou acreditando afinal nada é impossível quando se tem ao menos um amando.
E aquele ano se encerrou e numa fé infinita em um amor impossível ela permanece até hoje em busca do seu primeiro e por sua vontade, único amor.